O Estupro e o Rio Olímpico

 

APRESENTAÇÃO Wanderley Rebello Filho

Lembro-me que li, em algum lugar, “que o trabalho pode esperar enquanto a gente mostra às crianças um arco-íris, mas que o arco íris não vai esperar enquanto a gente trabalha”. Sabem, é por isto, também, que uma menina de 16 anos foi estuprada por cerca de 30 homens. Nós hoje temos pouco tempo para mostrar o arco-íris para os nossos filhos! Impressionou-me muito este estupro de uma adolescente por cerca 30 homens! Mas me impressionou mais, muito mais, saber que há 30 homens, em uma comunidade, capazes de estuprar uma menina! São 30 marginais, canalhas e covardes assim tão perto um do outro, cada um encobrindo a sanha assassina do outro, pulhas sujos e dignos de prisão perpétua, que com certeza nunca viram um arco-íris.

Depois deste episódio macabro, neste nosso “Rio de Janeiro hipócrita, corrupto, falido e olímpico”, eu tenho a certeza de que a luz da esperança retornou ao Céu. Não merecemos nem festas nem jogos olímpicos, nós deste Estado sem segurança, sem saúde, sem educação e sem salário. E para piorar, somos agora o Estado Olímpico que deixou 30 homens estuprarem uma menina!

Só nos resta, aos homens de bem, pedir desculpas a todas as mulheres, porque não havia um homem sequer para defender uma menina; e às mulheres só resta sentar e chorar solidárias com aquela menina.

Estou sentado escrevendo, minha pessoinha não humana Babalu ao meu lado. Estou ouvindo a música “If” aqui no meio do mato, onde a paz e o silêncio são meus companheiros inseparáveis. Tenho, cada vez mais, me sentido com cada vez menos esperança em tudo, e observado que a luz do fim do túnel só se afasta, quase se apaga. E como na música “If”, se o mundo resolvesse girar cada vez mais lentamente até morrer, eu gastaria os meus momentos finais aqui nesta solidão que me preenche, me afaga e me consola, bem longe destes homens que me enojam e me envergonham. Mas, como este mundo cruel que criamos e alimentamos não vai tão cedo se acabar, hoje, depois que a última estrela no céu se acender, eu vou correndo em sonhos até ela, e vou pegar nas mãos desta menina que ajudei por omissão a estuprar, e vou voar com ela para o espaço infinito, para algum lugar bem longe, bem distante daqui.

“Adota Barra”: Palestra Gratuita na OAB/Barra da Tijuca

 

Na noite de 17 de maio acontecerá, às 18h30, a Palestra Gratuita”Adota Barra”, no Auditório da Barra da Tijuca. O evento é uma iniciativa da comissão de Direito e Mediação de Órfãos e Sucessões da OAB/Barra da Tijuca, presidida pela Dra. Daniela Freitas, em parceria com a comissão da Criança e do Adolescente, presidida pela Dra. Helena Bendoraytes e a comissão de Erradicação do Trabalho Infantil, presidida pelo Dr. Luiz Antonio Bastos, da OAB/Barra da Tijuca. O encontro contará com a participação do Juiz Sergio Luiz, ganhador do Prêmio Innovare com o tema Apadrinhamento Afetivo,além de debates e depoimentos de adotantes.

Haverá a concessão de 2 (duas) horas de estágio aos estudantes de Direito que participarem.

A OAB/Barra da Tijuca fica na Avenida das Américas, 3959  – Lojas 217 a 222 – Shopping Marapendi – Barra da Tijuca – RJ.

 

 ADOTA BARRA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                                

Lançamento do Programa Dose de Apoio da CAARJ : 9 de maio no Cinema ODEON

Dia 9 de maio de 2016 , lançamento do Programa Dose de Apoio da CAARJ, à partir das 18h, no Cinema ODEON, na Cinelândia. Entrada franca.

Neste evento a CAARJ estará lançando  um programa de formação e informação para quem quer ajuda no alcoolismo. Após o coquetel de lançamento, haverá a  projeção do filme “O Veredicto”, e em seguida debates sobre o assunto em pauta: Alcoolismo.

Debatedores: O advogado Criminalista, Wanderley Rebello Filho, Presidente das Comissões de Políticas sobre Drogas da OAB/RJ e da OAB/Barra da Tijuca; Hugo Leal, Deputado Federal e autor da Lei Seca , Jorge Jaber, Médico Psiquiatra e a Psicólog a Patrícia Mondarto

Sobre o filme “O Veredicto”:

O filme, de 1983, é de Sidney Lumet, com Paul Newman e Charlotte Rampling, e conta a história de um advogado alcoólatra e decadente que vê a chance de recuperar a sua auto-estima quando lhe é dado um caso sobre um erro médico. Mesmo quando uma quantia razoável é oferecida para se chegar a um acordo e o caso não ir a julgamento, ele não concorda e decide enfrentar um poderoso grupo, que é defendido por um renomado e ardiloso advogado.

                                 

              O Cinema ODEON fica na Praça Floriano,0 7 – 

                               Cinelândia – Rio de Janeiro

                                   CARTAZ EVENTO 9 DE MAIO NO CINE ODEON